Tendências e urgências do agronegócio brasileiro foram analisadas por ex-ministros no 10º Agrimark-

Os problemas de transporte e logística para o escoamento de safras e exportações representam um dos piores riscos para a perda de competitividade do agronegócio brasileiro, na opinião de todos os ex-ministros que participaram do 10º AGRIMARK Brasil.


O evento que tratou do Agronegócio Brasileiro PÓS 2014, atraiu um público altamente formador de opinião entre empresários do setor, políticos, secretários de agricultura, jornalistas, e dirigentes de entidades setoriais, e foi realizado no salão nobre da Federasul nesta sexta-feira, 23 de maio, em Porto Alegre. Na ocasião estiveram reunidos em uma mesma mesa de debates os ex-ministros da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Luis Fernando Cirne Lima, Marcus Vinícius Pratini de Moraes, Francisco Turra e Roberto Rodrigues. Cada um deles expôs sua opinião sobre o atual momento do setor no Brasil e no mundo, e quanto aos rumos do agronegócio daqui para frente.


Cirne Lima abriu o espaço de análises destacando que os investimentos em melhorias no setor de infra-estrutura, transportes e logística, na sua opinião, tem sido feitos quase que exclusivamente pela iniciativa privada. Caso problemas antigos como este já estivessem sanados, o agronegócio brasileiro poderia ter gerado algo em torno de 100 mil empregos à mais do que gerou nos últimos 4 anos, segundo o ex-ministro Francisco Turra. Já Pratini de Moraes acrescentou os investimentos em marketing como uma das necessidades mais urgentes para a agregação de valor aos produtos que saem do campo. Um projeto que busca definir um planejamento estratégico para a construção de uma política agrícola consistente, está sendo elaborado por técnicos do setor e deve ser repassada a todos os candidatos a presidência da república, segundo o presidente da Academia Nacional de Agricultura, o ex-ministro Roberto Rodrigues.


O Instituto de Educação no Agronegócio (I-UMA), que promoveu o evento, prestou uma homenagem a todos palestrantes. Cada um deles recebeu uma distinção em forma de placa, em que o texto registra a importância de seus trabalhos para o desenvolvimento nacional das atividades agropecuárias.


O 10º AGRIMARK contou com o apoio da Celulose Riograndense, Cooperativa LANGUIRU, John Deere, SESCOOP/RS e Syngenta, e teve como instituições parceiras a BRASILAGRO, Revista Dinheiro Rural, ABAG – Associação Brasileira do Agribusiness, DBW Agro, Thomson Reuters e UOL Diveo.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square